26/04/17

Papel dos municípios no enfrentamento das desigualdades sociais marca abertura de Sala Temática

Divulgação FNP Papel dos municípios no enfrentamento das desigualdades sociais marca abertura de Sala Temática

O papel do governo local na redução das desigualdades e desproteções nos territórios foi o tema de abertura da Sala Temática “Conhecer e Intervir: desafios dos governos locais no enfrentamento das desigualdades sociais”, realizada na tarde desta quarta-feira, 26, durante o IV Encontro dos Municípios com o Desenvolvimento Sustentável (IV EMDS), em Brasília/DF.

Para a coordenadora do Núcleo de Direitos Humanos da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR), Jucimeri Isolda Silveira, a desigualdade no Brasil se deve a problemas históricos e precisa ser enfrentada com a formulação de políticas públicas que possuam potencial transformador nos territórios. “No cenário atual, enfrentamos uma redução de direitos, da produção e do consumo, o que afeta especialmente a população mais vulnerável, aumentando a desigualdade. Defendo a implantação de políticas sociais para o desenvolvimento local, mas é preciso que sejam acompanhadas de reformas estruturantes que mexam na nossa realidade”, afirmou a coordenadora da PUCPR.

Já a coordenadora do curso de Serviço Social do IESB, Juliana Paiva, acredita que a desigualdade social vai muito além da pobreza. “Precisamos saber que desigualdade tem um conceito importante que é o da interseccionalidade, que é quando uma característica se junta à outra, e isso amplia as condições de desigualdades de um indivíduo. Quando as dimensões políticas, de gênero e étnico-racial se juntam, o indivíduo é alvo ainda maior de desigualdade. Então não dá para pensar em superar a desigualdade somente com políticas voltadas exclusivamente para a superação de pobreza, porque existem outras dimensões”, ressaltou.

Durante o momento reservado para as soluções inovadoras, o representante da Secretaria de Desenvolvimento Regional do Ministério da Integração Nacional, Luiz Lima, apresentou, o Prêmio Celso Furtado de Desenvolvimento Regional, que tem como objetivo promover a reflexão, do ponto de vista teórico e prático, acerca do desenvolvimento regional no Brasil. O concurso tem como público-alvo segmentos representativos da sociedade brasileira, na discussão e identificação de medidas concretas para a redução das desigualdades e a promoção de igualdade no acesso a oportunidades de desenvolvimento.

“O papel dessa discussão é trazer reflexões e levar aos municípios para que possamos identificar as possibilidades que a gestão local tem neste cenário que estamos vivenciando hoje. Não dá mais para fazer gestão pública sem planejamento, sem diagnóstico, sem monitoramento e avaliação”, disse a secretária municipal do Trabalho e Assistência Social de Russas/CE e presidente do Colegiado Nacional de Gestores Municipais de Assistência Social (Congemas), de Vanda Anselmo, moderadora e coordenadora técnica do debate, ao encerrar a mesa de discussão.
No total, durante o IV EMDS, serão realizadas 88 mesas de discussão com conteúdos de impacto nas cidades, na vida dos cidadãos e na gestão municipal. As atividades da Sala Temática “Conhecer e Intervir: desafios dos governos locais no enfrentamento das desigualdades sociais” estão divididas em quatro encontros e vão até a manhã da próxima sexta-feira, 28.

Redação: Aline Dias

Editor: Rodrigo Eneas
Mais nesta categoria: